Mais um bem conseguido casamento entre relojoaria mecânica e joalharia pela parte da Jaeger-LeCoultre. O novo Rendez-Vous Moon Serenity é um bonito relógio de pulso que combina ouro rosa, diamantes e madrepérola com um misterioso tom de azul.

_

Por Cesarina Sousa

Os elementos distintivos estão todos lá: a caixa redonda, o mostrador com os numerais florais  de diferentes tamanhos dispostos em arco, a representação da lua numa janela de grandes dimensões às 6 horas e a estrela que nos recorda de que se trata de um modelo que vem integrar uma coleção que é símbolo de um compromisso marcado. O novo Rendez-Vous Moon Serenity da Jaeger-LeCoultre foi apresentado há uns dias e tudo nele faz lembrar os modelos Rendez-Vous Moon, claro. No entanto, tudo nele é novo também.


Rendez-Vous Moon Serenity

A começar pela caixa em ouro rosa: nada de novo na coleção e tudo de novo, no entanto (mais uma vez…). Porquê? Porque não se trata só do formato ou da qualidade dos acabamentos de que estaremos certamente à espera. Trata-se do modo como a caixa de 36mm serve de moldura perfeita para enquadrar o elegante tom azul metálico do mostrador.

Jaeger-LeCoultre Rendez-Vous Moon Serenity | © Jaeger-LeCoultre

Na verdade, esta combinação ouro rosa/azul talvez não se encontre assim com tanta frequência no mundo dos relógios, e menos ainda nas coleções de senhora. Castanho/ouro rosa é uma combinação óbvia. Antracite/ouro rosa também. Azul escuro/ ouro rosa idem. Mas  azul metalizado/ouro rosa não. De todo. E, à primeira vista, parece resultar tão bem.

Jaeger-LeCoultre Rendez-Vous Moon Serenity | © Jaeger-LeCoultre
Jaeger-LeCoultre Rendez-Vous Moon Serenity | © Jaeger-LeCoultre

O novo Rendez-Vous Moon Serenity combina, assim, relojoaria e joalharia de forma muito harmoniosa, apresentando, sob um pano de fundo escovado acetinado, as horas e os minutos por meio de ponteiros centrais, bem como a indicação das fases da lua numa janela circular de grandes dimensões localizada às seis horas que vai abrindo caminho a uma lua feita de madrepérola. (…)